World Round Up 2013

 

 
Entre os dias 17 e 20 de Maio, Cloverdale sediou o World Round Up 2, durante o feriado anual da Rainha. São mais de 150 anos de feira e 67 anos de rodeio e o segundo que o Ginásio de Curling recebe um campeonato de skateboard Freestyle que apesar de não receber o título de Mundial é o maior evento das últimas décadas com a maior participação de países e premiação de 10,000 dólares sem esquecer das 70.000 pessoas que frequentam a feira nos 4 dias e grande parte delas circula pelo ginásio para conferir a competição. Tem patrocinadores e apoiadores de marcas importantes do skateboard Mundial, ainda que a premiação em dinheiro venha da organização do Rodeio, o que é ao mesmo tempo uma grande conquista mas também um grande obstáculo.
 
UMA ESCOLHA LÓGICA
 
Nos últimos anos a modalidade tem promovido 3 a 4 eventos internacioais importantes, incluindo o Mundial oficializado e indicado pela Associação Mundial, a WFSA da qual sou vice presidente. Se o W.R.Up acontece no segundo final de semana prolongado de Maio em Vancouver, por mais que um Mundial seja realizado no outro semestre, a grande maioria dos competidores não tem como participar de outros e a escolha lógica pela premiação, público e divulgação é o World Round Up.
O investimento para quem sai do Brasil por exemplo, é muito superior a um skatista que viva na Europa e tenha um Mundial em algum País europeu. Não se trata somente da premiação, mas nenhum outro evento reúne tantas nações, um público tão grande e um local perfeito, indoor com ótima acústica, arquibancadas e ampla área de competição. Seria diferente se os skatistas tivessem patrocinadores que viabilizassem mais viagens, o que leva a outro ponto:
 
 
O MERCADO MUNDIAL É NOSSO
 
As maiores empresas de produtos no Mundo estão nas mãos de freestylers como; Rodney Mullen, Per Welinder, Pierre André, Steve Rocco, entre outros.No entanto, não investem em produtos para Freestyle nem apoiam os campeonatos. A razão é simples, mercado não vive de emoção, mas de negócios e se o maior mercado é do street skate e o "boom" dos longboards é o que vende, é onde se investe. Quantas empresas investem em produtos ou patrocinam skatistas? Praticamente todas as poucas que o fazem são por coração e consideração mesmo, não visam lucro. A modalidade cresceu muito desde 2003 no Brasil e no Mundo em praticantes, mas principalmente aqui sem apoio da mídia, empresas e sem público. Por que? 
 
SOMOS MUITO MENORES DO QUE ACREDITAMOS E MUITO MAIORES DO QUE NOS FAZEM PARECER
 
É preciso um trabalho sério na divulgação da modalidade no Brasil, escolher locais adequados para os eventos, buscar patrocínio fora do mercado especializado e sobretudo reunir todos os praticantes que for possível. Faltou uma renovação, competições mais dinâmicas e atraentes ao público e uma cobertura profissional. Fazer etapas com a arrecadação de inscrição, com divulgação em redes sociais sem abrangência e sem um atrativo aos expectadores não nos leva ao próximo nível. Poucas marcas doando premiação não resolvem o problema. 
 
Mas sem muitas empresas investindo em produtos especializados, poucas equipes patrocinando freestylers, quase nenhum conhecimento no balcão da loja ou opções de peças, sem divulgação nas revistas e TV, o custo de produção é muito alto para a demanda. Não basta acreditar que a modalidade vai bem porque surgem novos praticantes, se achar super famoso porque possui mais de 20 anos de skate, mas nem considerá-la extinta porque aparece pouco. Não é uma prática popular e comum, requer muita dedicação mas nem por isso é exclusiva de um grupo pequeno. O iniciante se espelha em ídolos e os maoires estão no vertical e no street. O longboard cresce sem grandes modelos de sucesso, comparando com os skatistas mais famosos do Brasil, não que não tenhamos talentos e campeões em outras modalidades, o que quero dizer é que os praticantes de modalidades de ladeira trabalharam muito para chegar lá, se organizaram, promovem vários campeonatos com ou sem patrocinadores e criaram um mercado gigantesco por divulgar as modalidades, não foram as marcas que promoveram os skatistas.
 
MUNDIAL NO BRASIL?
 
 
 
 
Com certeza o que deve acontecer- e já aconteceu em outros países- é sediar um "Mundial"que terá presença somente de brasileiros ou um ou dois gringos. Temos um evento internacional modelo, ( inclusive no maior problema que sempre tivemos, o julgamento, foi resolvido de forma simples e imparcial no W.R.Up). E por coincidência, não tem participação da W.F.S.A. . Existe um debate sobre a necessidade de prosseguir organizando o evento mais importante da modalidade (Mundial), muito abaixo da qualidade e tamanho de outro que não leva o título de Mundial. Ainda que haja uma possibilidade de sediarmos um 3° Mundial no Brasil, o que pesa na decisão é não ter a presença de tantos países como já aconteceu em alguns mundiais em outros países, a dificuldade de investimentos e no final não ter o Mundial oficializado por esse motivo.
 
VOLTANDO AO ASSUNTO..
 
 Tivemos uma equipe brasileira competindo lá; eu, Lucas, Lúcio, Rene e Tai Tai no PRO e Kauê e Thomas no Amador, representando e elevando o nível da competição. Na Semi senti novamente o gosto de estar no pódio, eu estava em 2°, mas não consegui repetir uma boa volta na final e terminei em 5°.Kauê foi bem constante e com voltas sólidas terminou em 2° mas comemoramos como se fosse o primeiro- teve uma performance de profissional ! 30% dos Top 10 foram brasileiros, um bom sinal de que aqui ainda pode ser chamada de "Terra do Freestyle", ainda que entre nós, uma grande família, não existam fronteiras nem qualquer rivalidade entre países- no Canadá somos todos brasileiros, canadenses, americanos, europeus e japoneses!
 
 

RESULTADOS
 
AM
Ryan Brynelson – 275
Kaue Araujo – 271
Andy Anderson – 267
Jacob Whitt – 262
Thomas Nascimento – 257
Felix Jonsson – 254
Daniel Trujillo – 234
Mic Murayama – 233
Alejandro Quiros – 228
Adam Flood – 222
 
PRO
 
Guenter Mokulys – 285
Seya Nakano – 282
Mike Osterman – 281
Masahiro Fujii – 279
Per Canguru – 278
Stefan Akesson – 273
Lucio Lima – 267
Rene Shigueto – 265
Jesse Whalen – 262
Albert Kuncz – 261
 
BEST TRICK
 
Dan Garb
 
360 SPIN-OFF
 
Russ Howell
Kevin Harris
Guenter Mokulys
 
 

Postado em 13 de junho de 2013 ( 1 comentário! )

Comentários

  • Tiago Costa

    Legal esse torneio mundial,gostei pois vi varias manobras que nunca tinha visto antes.

Deixe seu comentário

Nome
E-mail
Comentários