Caubóis e Freestylers

É uma tarefa difícil descrever em poucas palavras o que foi a experiência durante a semana do World Round Up realizado na Feira & Rodeio em Cloverdale, Canadá entre os dias 18 e 21 de Maio.

Viajar para o Canadá não é só comprar a passagem e embarcar. Existe um planejamento de toda a viagem, roteiro, os custos e o Visto. Foi esse detalhe que deixou de fora skatistas super talentosos como Albert Kuncz da Hungria que teve sua ida impedida porque não lhe concederam o Visto. O mesmo aconteceu com um dos principais organizadores do evento, Kai Dunkel, que passou meses planejando cada detalhe, participando ativamente dos preparativos, precisou retornar à sua cidade natal e também foi impedido de retornar.

Grande parte dos skatistas ficaram hospedados na casa de um dos organizadores do evento (incluindo eu), Lenda Mundial do Skate e para nós brasileiros, parte da nossa família, Kevin Harris.

 

 

Lá estavam; eu, Shigueto, Lillis, Mic e Takashi, Stefan Albert, Killian Martin, Mike Sterling, Felix Johnson, Yuta, além de toda a família Harris. Um rancho sensacional, a casa conhecida por ter sido cenário da série Smallville. Isso somado aos cafés da manhã fantásticos, toda a programação de buscar os que chegavam no aeroporto e toda a logística de colocar essa tropa nos carros para irmos até o evento. Fizemos uma visita na maior distribuidora do Canadá, a Ultimate- conhecemos toda a equipe e ainda tivemos uma premiére do novo filme da Bones Brigade em uma sala de cinema- essa foi realmente uma noite inesquecível.

 

 

Ver a emoção da equipe Powell Peralta às lágrimas em seus depoimentos , deixou além do legado da marca, uma experiência de vida única para qualquer pessoa que já subiu num skate, viveu os anos 80 ou quer saber o lado mais pessoal dos maiores ícones do esporte de todos os tempos. O primeiro dia foi só uma demo, sem contagem de pontos e fizemos outra demo em uma rua fechada para promover o evento.

 



O evento de certa forma não estava muito claro. Eu mesmo estava indo participar porque o objetivo principal eram as demos, mas com 10,000 dólares na premiação foi quase impossível esquecer o lado competitivo. Digo quase porque alguns skatistas ainda não entenderam o propósito e não se desapegam de suas rotinas, mas a grande maioria estava no clima. A idéia era manter a ação sem os tradicionais 2 minutos e intervalos entre os freestylers. O skatista estaria na arena enquanto o público estivesse se divertindo, mas como não foi estipulado tempo, mesmo com erros e a princípio seriam 3 entradas de 40 segundos, alguns chegaram a ficar 4 minutos andando de skate, mas isso não comprometeu o cronograma nem tirou a animação dos skatistas e público.

 


Eu quase quebrei o dedo do meu pé no segundo dia, por isso fui no carro durante a parada realizada na região, mas pude filmar e fotografar tudo de um lugar previlegiado, me poupando para o segundo dia de competições.

 

 

 

 


A intenção da organização era premiar quem andasse bem em todos os dias, não somente na final, por isso eu estava confiante. No segundo dia estava em 4° e no terceiro em 2° o que me deixou na 3° posição para a chamada da final; 5 Sean Burke, 4 Rene Shigueto, 3 Per Canguru, 2 Daryl Grogan e 1 Guenter Mokulys. Estava ainda mais feliz porque alguns juízes me colocaram como 1°após a final e na avaliação do público feita com um programa que mede os aplausos da torcida, também.

 

 

 

De qualquer forma, utilizaram 5 juízes, onde a maior e a menor nota eram cortadas e isso resultou em empates e diferenças de décimos nas notas finais. A final que estava programada para ter somente 6 finalistas, mas  como tinha sido divulgado no site que seriam 10, a organização resolveu voltar atrás. A feira já estava fechada e ainda nos preparávamos para receber a premiação.

 

 


A chuva nos dois últimos dias atrapalhou muito e deixou o enorme parque montado completamente vazio, mas felizmente para nós, muitas pessoas estiveram presentes para prestigiar os últimos dias do W.R.Up.
Monty Little é sem dúvida um dos melhores organizadores de eventos no Mundo e foi homenageado com um skate autografado por todos os participantes. Seu esforço para transformar esse evento no melhor campeonato de Freestyle foi tão bem sucedido que os promotores de Cloverdale já anunciaram a segunda edição em 2013.

 

 

O DJ mesclou todos os gostos e manteve todos os participantes no ritmo. O público interagiu muito e sabemos que estamos no caminho certo, ainda que muito precise ser feito na relação a forma de julgar- é engraçado como a mesma proposta que praticamente acabou com a modalidade nos anos 90, deve ser o futuro e a melhor forma de apresentar o Freestyle. Competições são importantes, não pelos títulos, mas para motivar o nível das apresentações. É ótimo ter premiação em dinheiro e arquibancadas lotadas, mas o desafio agora é como libertar os juízes das normas e conceitos técnicos e dar a eles a mesma visão do público para quem realmente nos apresentamos e fazem a diferença na divulgação do Freestyle e do Skate. O que não tem preço é a oportunidade de uma viagem como essa, rever e conhecer novos amigos e todas as oportunidades que tivemos. 

 

 

Sem deixar de agradecer novamente à família Harris por essa semana incrível, fomos muito bem recebidos e o evento foi um sucesso. Em julho será realizado em Paderborn o Mundial de Freestyle 2012. Essa proximidade com o evento de Cloverdale deve diminuir um pouco o número de participantes, mas tenho certeza que estaremos bem representados lá também. Confira os resultados:

 

PRO

1°    Darryl Grogan
2°    Günter Mokulys
3°    Rene Shigueto
4°    Stefan “Lillis” Akesson
5°    Per Canguru
6°    Greyson Ashton
7°    Sean Burke
8°    Mike Osterman
9°    Jesse Whalen
10°    Stefan Albert

   
AMA


1°    Shaun Gladwell
2°    Ryan Brynelson
3°    Takashi Suziki
4°    Felix Jonsson
5°    Andy Anderson
6°    Daniel Trujillo
7°    Mic Murayama
8°    Michael Sterling
 


 

Postado em 31 de maio de 2012 ( Nenhum comentário. )

Deixe seu comentário

Nome
E-mail
Comentários